Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Cat May Book at a King

A Cat May Book at a King

Did I Mention I Love You? | First Review

11.06.19, R.

Did-I-Mention-I-Love-You.jpg

(Did I Mention I LOVE YOU?)

__________________________________________________________________________________________________________________Sinopse:

"Eden, de dezasseis anos, vai passar o verão na Califórnia com a nova família do seu pai, numa tentativa de esquecer o drama que deixou em casa. Mas quando conhece Ella, a madrasta, e os seus três filhos, Eden mal sabe o que a espera.
O filho mais velho de Ella, Tyler Bruce, é um autêntico bad boy: sedutor, egocêntrico, violento... Eden não o suporta. Mas com o passar do tempo, Eden descobre nele uma grande fragilidade, consequência de um passado difícil. Ao tentar perceber a verdade sobre Tyler, Eden dará por si a apaixonar -se pela única pessoa por quem isso não devia acontecer..."

Ao ler a sinopse pode parecer mais um livro vulgar com uma história típica de romance adolescente cheio de drama, que não nos vai acrescentar nada de novo, sem uma lição para dar. Confesso que ao começar a ler o livro estes foram os pensamentos que me ocorreram. Nada de diferente das histórias clichés de romances do género, o mesmo tipo de escrita, etc. Não me estava a cativar muito, começava a ficar perdida no meio da arrogância de Tyler e na inocência de Eden, mas a verdade é que isto se alterou. 

Na minha opinião, um livro tem que ter bons personagens para ser um bom livro. Não vale a pena a história ser fantástica se os personagens não nos conseguirem traduzi-la e dar sentimento. No caso deste livro em particular, adorei. Houve uma enorme mudança e desenvolvimento ao longo da história, e os típicos adolescentes começaram a crescer e a mostrar mais maturidade e a revelar um pouco mais da sua personalidade, mostrar que são profundos. 

A própria escrita da autora também cresceu, não sendo muito profunda, mas transmitindo todo o tipo de sensações, parece que estamos dentro de um filme e tudo aquilo é real. A personagem que mais gostei foi a Eden, por me identificar bastante com ela, o facto de ter problemas de autoestima e uma má relação com o corpo, a forma como olha para o mundo, a ingenuidade e o viver dentro de um sonho. Também gostei imenso da evolução do Tyler, que passou de um bad boy para um rapaz carinhoso que vive fechado nos seus pensamentos porque tem um passado sombrio que o atormenta. 

O que parecia ser um enredo previsível, rapidamente se tornou chocante e diferente. Adorei a forma como a autora pegou na história e nos cativa cada vez mais. O que ao início parecia ser secante, a partir do meio do livro mostrou-se importante e tomou um rumo diferente. Podemos tentar adivinhar o que vai acontecer, e realmente pode parecer que é exatamente aquilo, mas não é.  

Algo que gostei bastante foi que o livro não se centra apenas na Eden e no Tyler, e também nos mostra muito a parte das famílias e das histórias delas, as próprias amizades também são muito exploradas. O livro retrata muito a diversão, o perdão, o passado, temas que nos cativam e chamam a atenção. Temas como a violência, drogas e abandono também são abordados, mas a ideia principal é mesmo a de que nada vence o amor.

Não tenho uma parte favorita do livro, mas considero que o que mais me interessou e o que mais gostei aconteceu do meio do livro para a frente, é aí que as coisas começam a tomar outro rumo! 

Aconselho vivamente a quem procura algo leve mas que prenda, mas fiquem cientes de que é uma trilogia, e não vão gostar do final se não estiverem dispostos a ler o próximo. Tenham paciência pelo desenvolvimento da história, que pode parecer chata mas melhora cada vez mais.

De 1 a 5 dou 4 estrelinhas! 

 

Espero que tenham gostado, em breve review do segundo livro da trilogia!